Embassies

Pontes Bilaterais entre o Governo e a Academia: Oportunidades no Horizonte

Voltados para o desenvolvimento de talentos de ponta por meio das melhores oportunidades educacionais para seus estudantes, os países latino-americanos da Colômbia e do Panamá criaram programas específicos de bolsas de estudo e aprendizado, com o fim de ajudar estudantes universitários a obter as habilidades e ferramentas necessárias para se tornarem líderes fortes, com um impacto positivo no futuro de seus países.

Colômbia

Inspirada pela visão do ex-Vice Presidente colombiano Francisco Santos, de lançar o país como um líder nas áreas de ciência e tecnologia na América Latina até 2025, a Colômbia tem o maior interesse em divulgar suas bolsas e iniciativas governamentais destinadas a incentivar seus alunos, especialmente nos campos de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM). O Ministério da Educação possui um dos maiores orçamentos dentre os ministérios colombianos e o número de bolsas disponível evidencia o esforço do país para alcançar sua meta de 2025.

Fundado pelo departamento de ciência, tecnologia e inovação do governo colombiano, Colciencias, o Programa Global Nexo tem o objetivo de proporcionar a acadêmicos colombianos com desempenho elevado a chance de estudar em laboratórios de instituições de pesquisa de ponta. O programa piloto do Nexo inscreverá inicialmente 40 alunos no EUA, com o objetivo maior de enviar 6.000 estudantes colombianos para universidades de todo o mundo. O Colciencias também está financiando um novo programa de bolsas para estudantes colombianos que queiram fazer doutorado.

flag_of_colombia1

Panamá

Com uma iniciativa governamental semelhante, o Panamá criou programas para dar apoio a estudantes que queiram estudar fora do país e ocupa a 7ª por número de alunos enviados para os EUA dentre os países da América Central. “Temos uma boa economia que permite que muitas famílias enviem seus filhos e filhas para estudar fora do país, mas também temos uma boa estrutura governamental para apoiar estudantes que desejem estudar no exterior,” explicou o Adido Político da Embaixada do Panamá nos Estados Unidos, Franklin Morales.

Há diversas oportunidades de bolsas Fulbright e programas de pesquisa disponibilizados aos alunos pelo governo. O Education USA concede uma bolsa integral para estudantes com recursos econômicos limitados. Diversas bolsas são também fornecidas por meio da Secretaria Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação do Panamá (SENACYT).

panama-21257700472-gif

Além disso, o Panamá está expandindo o ensino da língua inglesa enviando 1.000 professores panamenhos por ano para estudar nos EUA. “Trata-se de um programa extremamente ambicioso cuja iniciativa foi subscrita pelo Presidente Juan Carlos Varela,” destacou o Sr Morales. “Creio que o mais importante é que ele demonstra o nível de compromisso com o aprendizado do inglês e com o aprendizado nos Estados Unidos.”